A Ordem é Atirar e Matar!

ORKUT SEM LEI – Execuções, linchamentos, massacres, tortura: eles apóiam e, em alguns casos, dizem agir

Comunidades que somam mais de 40.000 pessoas no Orkut estão estimulando linchamentos, execuções policiais, massacres e o enfrentamento dos bandidos pela própria população ou por grupos de extermínio. As mensagens são em sua maioria postadas sem subterfúgios ou qualquer tipo de precaução quanto à identificação dos autores. Confira algumas frases:

“É hora de colocar as coisas em prática! Não podemos mais perder tempo. Vamos começar a nos organizar e constituir Grupos de Extermínios a essa gente. (…) O primeiro excluído que meter o pé na minha porta eu disparo um pente de 9mm por cima! Vamos começar a limpar a sociedade enquanto há tempo! Chega de se limitar ao Orkut, à net, vamos agir! Organizem-se em suas cidades, bairros, ruas.” (Eduardo Bozzetti, 31 anos, de Rio Grande, RS, na comunidade Bandido Bom é Bandido Morto, 25/07/2005)

Contem suas histórias, já bateu em ladrão? Matou? Como foi assaltado? Já pegou algum safado em flagrante?”(Descrição da comunidade Eu odeio Bandido)

“Estou juntando uns amigos pra limpar a Lagoa daqueles que sujam a imagem da nossa cidade maravilhosa. Minha proposta: vamos formar grupos para linchamentos de ladrões em diversos bairros do Rio. Já que a polícia não prende os ladrões, vamos acabar com a raça deles.” (Alejandro Pattacini Jr, de 20 anos, estudante, na comunidade Campanha Linchamento já”)

“Pratico artes marciais há mais de 18 anos, me senti na obrigação de ajudar (uma senhora que estava sendo assaltada na rua) Peguei a mão que ele segurava o canivete (…), iniciei uma gravata com um braço, o pé foi pisando na parte de trás do joelho dele. Em suma imobilizei, estrangulando. (…) Apaguei ele e só depois quando eu IA ligar pra polícia percebi que no chão o cara tinha rasgado um pedaço da camisa que eu tava indo pra night!!! Fiquei puto, não liguei pra PM porra nenhuma, quebrei os dois braços dele e os dois tornozelos (porque joelho se machucar nunca volta ao normal). Deixei ele lá para morrer de hemorragia.” (Rodrigo Sedlacek, fisioterapeuta, Rio de Janeiro, na comunidade Eu odeio bandido, ladrão e afins, no dia 23/05/2005)

“Certo dia estava voltando do curso quando por volta das 13h20 parei para tomar um caldo de cana. Um negão de uns 1,80m veio se aproximando de mim, parou do nada e me deu um soco na cara. (…) Quase arrancou meu nariz, mas saiu correndo. Uma patamo da 21ª DP vinha passando na hora e foi atrás. Resultado: trouxeram o maluco, levamos ele para uma rua deserta, os policiais estragaram ele. Eram cinco policiais imensos. Deram uma surra nele que eu acho que nunca mais bateu em mulher nenhuma…” (Jeise Lima, 32 anos, estudante carioca, na comunidade Bandido Bom é Bandido Morto, em tópico chamado “Já me vinguei”, dia 07/08/2005)

“Saudades” do Dops e do Carandiru

O massacre do Carandiru, em 1992 em São Paulo, que deixou um saldo de 111 mortos, tornou-se quase uma unanimidade entre os participantes desses grupos no Orkut. Crime condenado internacionalmente, marca irrecuperável do ex-governador e hoje deputado Luiz Antonio Fleury (PTB-SP), aquele dia chega a ser comemorado por essas pessoas, que chegam a venerar o mandante da operação, coronel Ubiratan. “A chacina do Carandiru foi boa em parte, pois sobraram alguns filhos da p…! Foi muito bom ver o corpo daqueles malditos estendidos no chão e sem vida!”, comenta uma das integrantes de Bandido Bom é Bandido Morto)

Quem também desperta saudades entre esses internautas é o Departamento de Ordem Política e Social (Dops) e o Esquadrão da Morte. O moderador da comunidade Esquadrão da Morte, o programador Victor Sbisa, participante também de comunidades como Rachas e pegas, explica por que a criou: “Após a visita a alguns tópicos do próprio Orkut me revoltei quanto à cena que vivemos hoje no Brasil”, escreveu. “Peço que comentem e apóiem a volta do Esquadrão da Morte!”

Na falta do grupo paramilitar, ocorre o apoio a ações à margem da lei de organizações como a Rota, braço da Polícia Militar paulista. Ou de entidades parapoliciais, como a capixaba Scuderie Le Cocq. Criada em 1960, a Le Cocq ficou conhecida pelo envolvimento com a matança de pessoas no Espírito Santo e chegou a se constituir legalmente. Em janeiro deste ano, uma sentença em Vitória suspendeu todas as suas operações e proibiu a divulgação do nome e de seus símbolos.

As comunidades pela pena de morte, que em tese poderiam invocar o direito de propor a legalização da medida, acabam por abrigar a apologia do crime.

A tortura aparece nesses grupos como recurso legítimo de investigação, por exemplo na comunidade Acabem com a Febem. Em grande parte dessas comunidades a expressão “direitos humanos” é reduzida a “direitos dos manos”, mostrando a associação direta que seus membros fazem entre os moradores das periferias e a criminalidade.

Comunidades onde há defesa de violência policial ou ações de justiceiros:

Bandido Bom é Bandido Morto – 14.687 membros – (Nº 487.318)

Odeio bandido, ladrão e afins – 9.148 membros – (Nº 873.162)

Pena de morte – 8.730 membros – (N° 86.126)

Eu odeio ladrão – 2.331 membros – (Nº 642.774)

Campanha Linchamento Já – 1.567 membros – (Nº 948.077)

Pena de morte = + transplantes – 1.470 membros – (N° 291.467)

Amei a limpa do Carandiru – 1.417 membros – (Nº 1.287.745)

Eu odeio bandido – 676 membros – (Nº 529.124)

Acabem com a Febem – 663 membros – (Nº 1149969)

Deus cria a Rota mata! – 624 membros – (Nº 358717)

Estuprador merece a morte – 151 membros – (Nº 1867467)

Fãs da escuderia “Le Cocq” – 153 membros – (Nº 1435131)

Scuderie Detetive Le Cocq – 117 membros – (Nº 1235251)

Dops – o Esquadrão tem de voltar – 117 membros – (Nº 2452544)

Esquadrão da morte – 81 membros – (Nº 1224513)

Cel Ubiratan Ministro BemEstar – 76 membros – (Nº 172106)

Coronel Ubiratan – 55 membros – (Nº 1195326)

Campo de exterminio federal – (Nº 3373943)

G.E.M. (Grupo de Extermínio de Marginais) – 12 membros – (Nº 3224886)

As Frases:

“Um motorista de caminhão aparentemente alcoolizado estava (…) em frente de sua casa quando o veículo desgovernou (…). Além de matar quatro das cinco pessoas(…), o caminhão atropelou também um garoto de 14 anos (…) Momentos depois o motorista foi pego de surpresa pelos moradores e foi linchado até a morte, segundo a análise do medico legista. De acordo com a reportagem, a polícia irá averiguar os participantes do linchamento e levá-los à justiça. (…) Será que se o motorista não fosse linchado ele seria levado a ALGUMA justiça? (…) Esse cara teve o que mereceu… A polícia devia dar medalhas pras pessoas que o lincharam.” (Gustavo Gonçalves, de 24 anos, na comunidade Campanha Linchamento já!

Espero que a comunidade pegue esse desgraçado e termine o serviço.” – Sobre notícia de tentativa de linchamento de acusado de estupro na região de Pirituba, em São Paulo.(André Azevedo, na comunidade Campanha Linchamento já!”, dia 29/07/2005)

O que conforta um pouco é que quando a gente ouve algum caso do gênero sempre ouve também a notícia que o estuprador foi linchado até a morte ou foi estuprado e morto na cadeia.” (Descrição da comunidade Estuprador merece a morte)

Se você é louco para pegar um assaltante, encher ele de pancada e só parar depois que ver ponta de osso para fora… deixar ele de um jeito que nem o João XXIII vai aceitá-lo, junte-se a nós! Aqui debateremos técnicas para espancar um assaltante!” (Descrição da comunidade Ainda mato um assaltante)

Fonte: Agência Repórter Social

Nota IASD Em Foco:

Como Pastor e Jornalista, sei que tudo isso que está aí – e muito mais que está pra aparecer e acontecer – é conseqüência direta (efeitos) do descrédito na justiça (juízes vendem sentenças e o próprio presidente do STF fica dando hábeas corpus para os bandidos de colarinho branco e amigos do poder), da falta de segurança para o cidadão e da impunidade que campeia. No entanto, estamos com uma linha tênue a nos separar da civilização para a barbárie; a situação, como estava predita nas profecias, está atingindo o seu ponto crítico… Como cristãos, é bom sempre lembrar que, embora as leis humanas sejam falhas e os seus agentes falhos e tendenciosos, a Lei de Deus continua valendo e ela afirma taxativamente: “Não matarás!” (Êxodo 20:13). Isso joga por terra qualquer apologia à violência, não importando se se trata do melhor entre os cidadãos de bem ou do mais reles entre os bandidos (a chamada escória da sociedade). A Bíblia nos lembra e adverte: “Ora, nós conhecemos Aquele que disse: a Mim pertence a vingança; eu retribuirei” (Hebreus 10:30).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s