Alérgico á você mesmo?

00121

Uma cristã conscienciosa fizera diversas visitas a um competente psiquiatra. Num momento de grande franqueza, ela finalmente perguntou:

– Doutor, que é que está errado comigo?

Surpreso e confundido momentaneamente, o médico passou a friccionar o queixo, enquanto procurava uma resposta apropriada.

– Bem – disse ele – se a senhora quer ouvir o meu diagnóstico provisório, eu diria que a senhora é alérgica a si mesma. Se há uma pessoa da qual a senhora deve manter-se afastada, essa pessoa é a senhora mesma.

Sem entrar nos aspectos técnicos que a questão envolve, constatemos o fato: existe uma “alergia a si mesmo” contra a qual o cristão sensível deve estar em alerta, talvez até mais do que seus amigos e vizinhos descrentes.

Temos um caso clássico desse tipo de auto-alergia no sétimo capítulo de Paulo aos Romanos. Quanto mais Paulo penetrava em seu eu mais íntimo, mais profundo, tanto mais via que ali se desenrolava uma luta titânica.

Ele via duas forças que se engalfinhavam em combate mortal: a velha natureza, que herdara em virtude de seu nascimento natural, e a nova natureza, que lhe fora dada como resultado de seu renascimento em Jesus Cristo.

Essas duas naturezas, lamentou-se o apóstolo, estavam em contínuo estado de conflito dentro dele. Por isso, ele se queixou amargamente: “Não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.” Faço as coisas que sei erradas e que detesto e, ao mesmo tempo, deixo de fazer todas aquelas coisas boas que mui nobremente resolvi fazer.

Esse conflito sem tréguas em seu coração foi tão agudo, que o grande apóstolo finalmente exclamou: “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor” (Romanos 7.24-25).

Existe apenas um ser que nos pode libertar da luta brutal que se desenrola dentro de nós, entre as duas naturezas opostas: apenas Deus, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor. Não nos garantiu cessação imediata das hostilidades; todavia, nos pôs no coração o selo da vitória final.

Por Jesus, Ele nos garantiu inteiro e livre perdão de todos os maus intentos e maquinações do nosso velho, rebelde e pecaminoso eu. Nunca estaremos livres do pecado nesta vida mortal, mas estaremos livres da culpa, do domínio e da punição do pecado. Essa é a mensagem da cruz.

E através de Cristo, Deus também prometeu dar-nos o poder e a capacidade de enfrentarmos com êxito crescente o inimigo que existe dentro de nós (Filipenses 4.13).

Alérgico a você mesmo? Entre em cada novo dia acompanhado de Cristo. Ele inclinará a balança da batalha a seu favor.

– Extraído de Herman W. Gockel, Ergue a Tua Vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s